10 aspectos a considerar na compra de um Portátil

Quando tomamos a decisão de comprar um novo computador portátil é fundamental avaliar um conjunto de características por forma a garantir que o investimento se adequa às nossas necessidades. No em10taque passámos recentemente por um longo processo de compra de novos equipamentos para os nossos (muitos!) colaboradores e neste artigo partilhamos aqueles que para nós foram os 10 aspectos a considerar na compra das máquinas.

Antes sequer de avançarem para a análise dos itens que listamos abaixo, o mais importante é ter consciência do tipo de utilização vamos fazer do computador. É para jogos? É para internet ou para utilizar o Office? É para trabalhar vídeo ou imagens? É um misto de utilizações? Estas são algumas perguntas às quais devem responder antes de decidir as especificações que o novo portátil deve ter!

 

10. Peso e dimensão

10.PesoDimensao

O peso e a dimensão são dois critérios que por norma estão relacionados. Quanto maior a dimensão do portátil (em termos de ecrã e espessura), maior o seu peso total. Um portátil com um ecrã de 12 polegadas será sempre mais leve que um de 15’6 polegadas. Se planeiam deixar o computador estacionado numa mesa de vossa casa em permanência, então o peso não é factor determinante. Se pelo contrário, vão andar constantemente a transporta-lo de um lado para o outro, então acreditem que o peso é uma característica à qual devem dar toda a atenção. Não se esqueçam de analisar também o peso do carregador – há uns que são autênticos tijolos!

 

9. Autonomia

09.Autonomia

Outro dado importante na compra é perceber a autonomia do equipamento. Mesmo que estejam a contar ter sempre uma ficha de electricidade perto de vocês, é sempre bom saber que podem sobreviver 2 ou 3 horas sem cabos. Se valorizam a independência da electricidade, saibam que existem no mercado portáteis com mais de 10 horas de autonomia, normalmente com significativo sacrifício no tamanho e na performance.

 

8. Tamanho do ecrã e resolução

08. Tamanho ecrãn

O ecrã é sempre um ponto importante na selecção de um computador. Dependendo das necessidades e preferências, podemos escolher um ecrã maior, com melhor resolução ou com maior densidade de pixels por polegada. Actualmente a resolução mais comum em portáteis é 1366×768. No entanto, começam a aparecer cada vez mais equipamentos que fazem full-hd (1920×1080), mesmo a partir de dimensões de ecrã de 15 polegadas.

 

7. Garantia e Seguro

07.Garantia e Seguro

Verifiquem que a vossa compra tem a garantia standard de dois anos. Se a utilização do equipamento for responsável (não como o da fotografia!) e se tiverem algum problema com o computador deverão dirigir-se à loja onde o adquiriram e reportar o problema. A loja tenta identificar o defeito e o mais comum é enviar o portátil para a assistência técnica da marca. Para cobrir azares e acidentes aconselhamos um seguro específico, que apesar de não ser barato, tem a vantagem de abranger danos não cobertos pela garantia.

 

6. Portas, comunicações e extras

06.Portas e Comunicações

O novo portátil deve estar preparado para se conectar com os periféricos que já têm e com outros que possam vir a adquirir. Wi-Fi, USB3, HDMI, VGA e saída para auscultadores são fundamentais. Consoante as necessidades podem também procurar equipamentos com portas e-sata, saídas compostas de vídeo, porta ethernet, etc.. A posição destes conectores no portátil também é importante! Experimentem o touchpad e confirmem que este permite uma utilização confortável.

 

5. Placa Gráfica

05. Placa gráfica

Todos os portáteis das últimas gerações funcionam com uma placa gráfica associada ao processador que cumpre as funções básicas. Há no entanto um conjunto de aplicações que tiram partido do facto de o computador ter uma gráfica dedicada. Se pensam em jogar ou efectuar operações pesadas com imagens ou vídeo, então necessitam de poder gráfico extra. Há inúmeras opções disponíveis, mas tenham presente que as capacidades gráficas de um portátil de topo são manifestamente inferiores ao que se conseguem num desktop de gama média!

 

4. Drive DVD ou Blueray

04.Drives

Há uns anos as drives de disquetes eram essenciais em qualquer computador. Hoje são inexistentes e ninguém sente a sua falta. O mesmo se começa a sentir relativamente às drives de DVD e/ou Blueray. Com a massificação das pens Usb e o aumento da largura de banda nas comunicações, a necessidade de ter uma drive de DVD num portátil deixou de ser indispensável. Se não têm uma grande quantidade de CDs, DVDs ou Blueray, esqueçam estas drives.

 

3. Processador

03.Processador

Sendo o cérebro do computador quanto mais potente … melhor! No entanto, o custo de ter um Einstein a fazer contas de somar pode não justificar o investimento. Existem vários processadores baratos, com boas relações preço/performance, que de certeza que não o vão deixar ficar mal. O número de núcleos (dual-core, quad-core, etc.) não é significativa para quem faz uma utilização normal do computador – Internet e Office. Também a velocidade do relógio (medida em Ghz) não deve ser analisada isoladamente , pois é cada vez menos uma boa medida do poder de processamento.

 

2. Memória e armazenamento

02.ArmazenamentoMemoria

Relativamente à memória, a norma é quanto mais melhor! Com a complexidade dos sistemas de hoje, 4Gb garante uma boa performance e 8Gb será suficiente durante um bom par de anos. Mais só em casos particulares, ou se as tarefas que executam exigem muito do portátil – por exemplo tratamento de vídeo ou máquinas virtuais.

No armazenamento são cada vez mais utilizados os SSD (Solid State Drives) em substituição dos tradicionais discos mecânicos, isto apesar do preço por Gb ser bastante superior nos primeiros. Se nos perguntarem se os SSDs valem a pena, a resposta é clara – SIM! Todo o sistema fica mais fluido e rápido. Se o orçamento não vos permitir instalar um na vossa máquina, procurem um híbrido – um disco mecânico com um chip de memória e cuja performance está a meio caminho entre um HDD e um SSD.

 

1. Preço

01.Preço

É sem dúvida o que mais condiciona a compra de um novo portátil! O bom senso diz-nos que a compra do modelo mais actual é sempre mais cara que um que tenha 6 meses. Estão dispostos a comprar o último grito da tecnologia e a pagar a diferença de preço, sabendo que o ganho pode não ser substancial? Para a utilização que pretendem fazer do computador será que necessitam de tanta RAM ou de um processador tão avançado? É muito fácil rebentar um orçamento quando se analisa ao detalhe as especificações e se começam a adicionar alguns extras. Apesar dos portáteis não serem amigos dos upgrades, pelo menos a RAM e o armazenamento são passíveis de serem melhorados no futuro.

 

 

Artigos Relacionados:

10 Blogs portugueses de culinária
10 sugestões para poupar em 2013
10 projectos falhados da Google
10 revistas de desporto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

404