10 locais a visitar em Sintra

Sintra é sem dúvida um dos mais bonitos e interessantes cartões de visita de Portugal. É provavelmente o concelho do país com a maior concentração de edifícios e monumentos emblemáticos da nossa história. Com uma visita por esta região conseguimos facilmente perceber a imponência e importância que o império português teve no passado.  O cenários é brilhantemente complementado pela natureza da serra de Sintra e da linha de costa que se estende do Cabo da Roca até perto da Ericeira. Deslumbrem-se com 10 locais a visitar em Sintra e façam do chavão, uma prática – vão para fora cá dentro!

 

10. Castelo dos Mouros

10.Castelos dos Mouros O Castelo dos Mouros remonta ao período do domínio islâmico e às conquistas de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal. Edificado no século XII, sofreu várias alterações ao longo dos tempos, sobretudo no reinado de Dom Fernando II. É deste período que, possivelmente, data o seu aspecto actual. Do primitivo castelo dos mouros subsistem a cisterna, a linha de ameias e torres quadradas que reforçam a muralha. Erguido sobre um maciço rochoso e rodeado de natureza, a vista estende-se até ao oceano Atlântico.

9. Palácio de Monserrate

09. Palácio de Monserrate O palácio foi construído em 1858, por ordem de Sir Francis Cook, Visconde de Monserrate. Foi a residência de Verão da família Cook, construído sobre as ruínas da mansão neo-gótica edificada pelo comerciante inglês Gerard de Visme. É um exemplar sugestivo do Romantismo português, ao lado de outros palácios na região, como o Palácio da Pena. Durante a década de 1920, o palácio seria posto à venda, acabando por ser adquirido pelo Estado em 1949. Tornou-se Imóvel de Interesse Público em 1978.

8. Convento dos Capuchos

08.Convento dos Capuchos O Convento da Santa Cruz, popularmente conhecido como Convento dos Capuchos, está construído no meio de penhascos e vegetação, e materializa o ideal de fraternidade e irmandade universal inerente aos valores dos frades franciscanos que o habitaram. Fundado em 1560, por Dom Álvaro de Castro, como cumprimento de um voto que fizera a seu pai, Dom João de Castro, neste espaço tudo é em miniatura – as celas, forradas a cortiça, o refeitório e a pequena igreja. Supõe-se que tenha sido abandonado em 1834, na sequência da extinção das ordens religiosas determinada pelo regime liberal.

7. Praia das Maças

07.Praia das Maças Praia de extenso areal na foz da ribeira de Colares, com bons acessos e um pitoresco eléctrico que desce todo o vale, partindo do Museu de Arte Moderna de Sintra, passando por Colares e com paragem e termina à beira-mar, na praia das maçãs. Para além da praia, a zona conta com  um parque infantil, algum comércio e vários restaurantes típicos com pratos à base de peixe e mariscos.

6. Palácio de Seteais

06.Palácio de Seteais Este elegante palácio cor de rosa foi construído no século XVIII para o cônsul holandês, Daniel Gildemeester, numa porção de terra cedida pelo Marquês de Pombal. Considerado património mundial, ergue-se no meio de um terreno acidentado, de onde se pode avistar o mar e o alto da Serra de Sintra. No interior o destaque vai para uma sala com pinturas murais, do tipo Pillement, e para a Sala da Convenção, com cenas marítimas e mitológicas. Foi transformado em hotel, mas mantém a sua traça original.

5. Palácio Nacional de Queluz

05. Palácio Nacional de Queluz Esta construção nasceu da vontade de Dom Pedro V transformar a Quinta de Queluz em palácio. As obras iniciaram-se em 1747 sob a direção de Mateus Vicente de Oliveira e mais tarde de J. B. Robillon, que deu ao palácio o seu primor decorativo. No interior do palácio evidenciam-se a sala do trono, a sala da música e a sala dos embaixadores. Os seus jardins encontram-se ornamentados com estátuas, lagos e fontes. O grande canal apresenta as paredes cobertas por azulejos.É um dos últimos grandes edifícios em estilo rococó erguidos na Europa.

4. Palácio de Sintra

04. Palácio de Sintra Também designado por Paço de Sintra, este impressionante palácio é o único sobrevivente dos grandes Paços Reais da Idade Média. A sua construção iniciou-se no século XV e foi utilizado pela Família Real Portuguesa praticamente até ao final da monarquia, em 1910, sendo hoje propriedade do Estado Português. É uma construção com bastantes divisões e entre as mais importantes contam-se a Sala dos Archeiros, o Quarto de Hóspedes, a Sala Árabe, a Sala Chinesa, o Quarto de Afonso VI, a Sala das Armas ou dos Brasões e a Sala das Pegas.

3. Palácio da Pena

03.Palacio da Pena Constitui o mais completo e notável exemplar de arquitectura portuguesa do Romantismo. Edificado a cerca de 500 metros de altitude, remonta a 1839, quando o rei D. Fernando II, adquiriu as ruínas do Mosteiro Jerónimo de Nossa Senhora da Pena e iniciou a sua adaptação a palacete. Conjuga na perfeição elementos neogóticos e neo-manuelinos com elementos muçulmanos e indianos. Esta conjugação acentua, juntamente com a vegetação luxuriante do parque da Pena, o seu aspecto exótico e fantástico. No interior encontra-se preservado a ambiência de residência real. Em Julho de 2007 foi eleito como uma das Sete maravilhas de Portugal.

2. Cabo da Roca

02. Cabo da Roca Foi descrito por Luís de Camões, nos Lusíadas, como “onde a terra se acaba e o mar começa”. É o ponto mais ocidental de Portugal Continental e da Europa. Está inserido no Parque Natural de Sintra-Cascais, numa zona de fáceis acessos e de grande afluência turística, sendo muitas as pessoas que o visitam. Ao Domingo é habitual a concentração de vários grupos de motociclistas.

1. Quinta da Regaleira

01. Quinta da Regaleira Visitar este espaço é como uma viagem ao tempo dos Templários, repleta de mistério e desconhecido. Situada em pleno centro histórico de Sintra, classificado Património Mundial pela UNESCO, a Quinta da Regaleira é um lugar com espírito próprio. Edificado nos primórdios do Século XX, ao sabor do ideário romântico, este fascinante conjunto de construções, nascendo abruptamente no meio da floresta luxuriante, é o resultado da concretização dos sonhos mito-mágicos do seu proprietário, António Augusto Carvalho Monteiro (1848-1920), aliados ao talento do arquitecto-cenógrafo italiano Luigi Manini (1848-1936).

EXTRA. Piriquita

 00. Piriquita A vila de Sintra é mundialmente conhecida pela sua beleza natural e pela sua arquitectura – e também pelas suas especialidades gastronómicas. As especialidades da Piriquita são, como não poderia deixar de ser, as famosas queijadas de Sintra e os travesseiros, que continuam “a ser feitos à hora de vender”. Os travesseiros da Piriquita são conhecidos em todo o mundo, sendo dos melhores representantes de Portugal.

 

 

Artigos Relacionados:

10 Serras de Portugal
A semana em 10 comentários de uma Manta Rota
10 parques aquáticos em Portugal
A semana em 10 comentários de um Azeiteiro

Deixe um Comentário