10 conventos e mosteiros de Portugal 1

A riqueza de monumentos do nosso país é imensa. Em quase todas as regiões encontramos edifícios imponentes que caracterizam cidades e vilas do nosso Portugal. A maioria dessas construções está associada a períodos da nossa história em que a Igreja e o Clero tinham uma importância na sociedade muito diferente da de hoje. Neste artigo, listamos 10 Conventos e Mosteiros de Portugal, símbolos deste poder e influência durante mais de 10 séculos. Já agora, convento e mosteiro dizem respeito a coisas diferentes – Convento é o termo usado para o edifício construído na malha urbana, normalmente delimitada por uma muralha; a designação de Mosteiro aplica-se ao oposto, ou seja, para edifício construído fora da cidade.

 

10. Convento do beato

beatoLocalizado em Lisboa, numa zona histórica, junto ao Rio Tejo, é hoje usado como um lugar de eleição para a realização de múltiplos e variados eventos, como congressos, seminários, exposições, espectáculos, entre outros. Foi fundado na segunda metade do século XV. Serviu para os cónegos regrantes de São João Evangelista e foi  classificado como Imóvel de Interesse Público em 1984.

9. Mosteiro da Serra do Pilar

pilarO Mosteiro da Serra do Pilar é um símbolo da cidade de Gaia, classificada pela UNESCO como Património Mundial, em Dezembro de 1996. Foi construído no século XVI pertencendo à ordem de Santo Agostinho. A Igreja de forma circular, é uma réplica da Igreja de Santa Maria Redonda, em Roma. Demorou 72 anos a ser concluído devido a falta de financiamento e ao ambiente político daqueles tempos. Serviu de forte improvisado em 1832, durante o cerco do Porto e no início do século XX, o mosteiro foi usado para o quartel militar e permanece sob a tutela do Regimento de artilharia.

8. Convento Santa Maria do Bouro

bouroO Convento de Santa Maria de Bouro localiza-se nas proximidades de Amares, Braga. Construído no século XVIII, o convento foi erigido sobre uma antiga abadia, o Mosteiro de S. Bernardo, que não se sabe muito bem quando havia sido construída, mas que é certo que já existia no ano de 1148, quando o primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques, consentiu aos monges da Ordem de S. Bernardo senhorio do couto de Bouro.

7. Mosteiro da Batalha

BatalhaO mosteiro da Batalha foi construído para comemorar a vitória dos portugueses sobre os castelhanos na batalha de Aljubarrota em 1385, o mosteiro dominicano da Batalha é uma das grandes obras da arte gótica. Na entrada, de ambos os lados, estão esculturas dos doze apóstolos e no centro há uma estátua de Cristo, rodeado por evangelistas, decorados com esculturas bíblicas, reis e rainhas, profetas e anjos, segurando instrumentos musicais da idade média. Esta grande profusão de esculturas é concluída com a Virgem Maria.

6. Convento do Carmo

carmoComo o Mosteiro da Batalha, o Convento do Carmo, em Lisboa, foi construído na sequência da vitória de Aljubarrota. O Convento foi dedicado a N. Sra. do Vencimento, no Monte do Carmo, e surgiu para que se cumprisse o voto feito pelo Condestável D. Nuno Álvares Pereira, quando decorria o ano de 1389. Foi a principal igreja gótica da capital,  que pela sua grandeza e monumentalidade concorria com a própria Sé de Lisboa, ficou em ruínas devido ao terramoto de 1755 e hoje abriga o Museu do Carmo.

5. Mosteiro de Alcobaça

alcobacaO Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça é o primeiro edifício plenamente gótico erguido em solo português. No seu interior estão os túmulos de D. Pedro I e de D. Inês de Castro, também eles verdadeiros esplendores da arte gótica. A construção do mosteiro iniciou-se em 1178 pelos monges de Cister. Está classificado como Património da Humanidade pela UNESCO e como Monumento Nacional, desde 1910. Em  2007 foi eleito como uma das sete maravilhas de Portugal.

4. Convento de Mafra

mafraDenominado, Palácio-Convento Nacional de Mafra, é um monumento em estilo barroco, na vertente alemã, cuja construção foi iniciada em 1717 por iniciativa de João V de Portugal, em virtude de uma promessa que fizera no caso de a rainha D. Maria Ana de Áustria lhe desse descendência. Classificado como Monumento Nacional em 1910, alberga no seu interior uma biblioteca, com chão em mármore, estantes em estilo rococó e uma colecção de mais de 36.000 livros com encadernações em couro gravadas a ouro, graças à acção da Ordem Franciscana, incluindo uma segunda edição de Os Lusíadas de Luís de Camões.

3. Mosteiro dos Jerónimos

jeronimosMonumento incontornável da paisagem Lisboeta, este mosteiro situado em Belém mesmo à entrada do Rio Tejo, constitui o ponto mais alto da arquitectura manuelina e o mais notável conjunto monástico do século XVI em Portugal e uma das principais igrejas-salão da Europa. Foi encomendado pelo rei D. Manuel I, pouco depois de Vasco da Gama ter regressado da sua viagem à Índia, e financiado em grande parte pelos lucros do comércio de especiarias. O monumento é considerado património mundial pela UNESCO, e em 2007 foi eleito como uma das sete maravilhas de Portugal.

2. Mosteiro de Tibães

tibiaesFundado no século XI é um dos mais emblemáticos monumentos do distrito de Braga. Antiga Casa-Mãe da Congregação Beneditina Portuguesa, ao longo de sua história, e dada a sua importância no Império Português, o mosteiro reuniu o maior e mais valioso espólio da região. Nele se destacavam desde a pintura, a escultura e a arte sacra, a uma vasta colecção de livros sobre variados temas. Passou pela mão de privados mas em 1986 o Estado readquiriu o imóvel e após grandes obras de conservação, voltou a ser utilizado pelo público essencialmente para dinamização cultural.

1. Convento de Cristo

cristoSímbolo maior da cidade de Tomar, o Convento de Cristo (classificado pela UNESCO como Património Mundial) pertenceu à Ordem dos Templários. Fundado em 1160 pelo Grão-Mestre dos Templários, dom Gualdim Pais, conserva recordações desses monges cavaleiros e dos herdeiros do seu cargo, a Ordem de Cristo, os quais fizeram deste edifício a sua sede. Totalmente embebido dentro da urbe de Tomar, numa elevação do qual se vislumbra toda a cidade, está circundado pelas muralhas do Castelo de Tomar e pela mata da cerca. A arquitectura partilha traços românicos, góticos, manuelinos, renascentistas, maneiristas e barrocos.

 

 

Artigos Relacionados:

10 cocktails perfeitos
Os 10 melhores tweets da semana (2013.21)
A semana em 10 comentários de um Técnico de Engolimento
10 praias fluviais a visitar

Um comentário a “10 conventos e mosteiros de Portugal”

  1. Sebastião António Silva alves diz:

    Simplesmente maravilhoso

    Perante tanta grandeza Gostaria de poder
    Sinto uma certa tristeza Por outras belezas fazer
    Por saber-me tão pequenino; Algo para as conservar;
    Fomos tão grandes, enormes Divugai-nos por favor
    Hoje apenas uns meros pobres O que temos de valor
    São as voltas do destino. Para o podermos amar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

404