10 espectaculares acontecimentos da Natureza

Apesar dos avanços da ciência e da tecnologia continuamos a ser supreendidos pelos mistérios do nosso planeta e por acontecimentos da Natureza que nos deixam boquiabertos. Neste artigo listamos 10 espectaculares acontecimentos da Natureza que são apenas um exemplo daquilo que a Terra e a Natureza têm para nos oferecer. Acontecimentos destes são muitos e belos e, como sempre, quando falamos da Natureza ou do nosso planeta puxamos o tema da conservação e gostamos de lembrar quem nos lê que para podermos usufruir destes espectáculos naturais e termos tempo de os estudar e compreender, cada um de nós tem que fazer a sua parte na conservação do planeta. Se não tratarmos do futuro da Terra então não teremos futuro nós próprios.

 

10. Marés Vermelhas

As marés vermelhas são um acontecimento natural que ocorre quando algas de estuários, marinhas ou de água doce se juntam rapidamente na coluna de água e convertem grandes áreas de oceano ou praias num mar de cor vermelha. Enquanto que algumas destas marés são inofensivas, outras podem ser abrigo de toxinas mortais que provocam a morte de peixes, pássaros e mamíferos marinhos. Apesar de haver casos de humanos que sofreram alguns tipos de sintomas por causa das marés vermelhas, não há relatos de fatalidades.

9. Aurora Borealis

A Aurora Borealis resulta da colisão de partículas carregadas de energia com átomos da termosfera. Estas partículas vêm da magnetosfera e dos ventos solares e levadas para a atmosfera pelo campo magnético da Terra. As cores são determinadas pela altura e densidade da atmosfera, quando os electrões são capazes de separar as moléculas de ar em hidrogénio e oxigénio. Para se ver a Aurora é necessário haver ceú limpo e escuro e é melhor visto nos pólos Norte e Sul.

8. Super Células

Super Célula é o nome dado a uma corrente de ar ascendente no centro de uma tempestade de relâmpagos. São tempestades capazes de uma destruição avassaladora, conseguem descarregar grandes quantidades de pedras de granizo, chuva e ventos fortes bem como tornados. Podem acontecer em qualquer parte do mundo mas são mais frequentes nas grandes planícies dos Estados Unidos.

7. Penitentes

Penitentes são formações de neve que apenas acontecem a grandes altitudes e com pouca humidade. Adquirem a forma de lâminas de neve ou gelo finas e altas, juntas e apontando, em geral, para o Sol. A altura que estas lâminas atingem pode chegar aos 4 metros. Se as condições forem as ideais, os raios do Sol conseguem derreter a neve sem que esta se torne líquida. Isto cria buracos na neve e as lâminas que ficam entre os buracos acabam por escapar aos raios de sol.

6. Pedras que movem sozinhas

No Parque Nacional do Vale da Morte, nos Estados Unidos, há pedras que me movem no deserto durante a noite. Até há pouco tempo a única prova de estas pedras se mexiam era o rasto que deixavam desde o lugar de onde se tinham começado a mexer até onde se encontravam. Mas o mistério foi desvendado através de vídeo que um grupo de cientistas gravou com o fenómeno em acção. Este deserto é rodeado por montanhas e quando chove a água escorre para a parte mais funda da planície criando um lago de pouca profundidade. Devido às temperaturas negativas que se sentem de noite, o lago congela e de manhã quando as temperaturas começam a subir o gelo parte-se em grandes bocados. Com a ajuda do vento o gelo empurra as pedras através da lama que se criou no chão normalmente seco. Já sabem, se precisarem de mover grandes pedras, é só usar gelo e vento!

5. Relâmpagos Vulcânicos

Imaginem duas coisas que, separadamente, nos conseguem sempre atrair a atenção! Agora imaginem essas duas coisas  duas coisas juntas! É o que acontece com vulcões e relâmpagos. Não se sabe ao certo porque é que este fenómeno acontece mas a principal teoria é de que o vulcão lança para o ar partículas carregadas positivamente que ao colidirem com as partículas negativas presentes na atmosfera, provocam as tempestades de relâmpagos como a que podemos ver na imagem.

4. Arco-Íris de Fogo

Arco Íris de Fogo Não é um arco-íris de verdade, mas produz um efeito semelhante, chamado de “arco circunhorizontal”, causado quando os raios de sol chegam aos cristais de gelo que formam uma nuvem tipo cirrus, o que ocorre sob condições especiais de posição entre o sol e as nuvens. O fenómeno ocorre quando o sol está mais alto do que 58º sobre o horizonte, e a luz passa através de uma nuvem tipo cirrus de grande altitude feita com cristais hexagonais. Quando a face dos cristais está perfeitamente alinhada em paralelo com o solo o resultado é  um espectáculo de cores que se parecem com um arco-íris.

3. Lava Azul

A visão é fantástica e apesar de parecer que se trata de um vulcão noutro planeta, a realidade é que não é! Mais, este vulcão também não deita lava azul. A cor azul não vem da lava mas sim da combustão dos gases sulfúricos que emergem do vulcão com a lava, em contacto com o ar a temperaturas superiores a 360 graus celsius.

2. Ondas Bioluminescentes

Na Ilha de Vaadhoo, mas Maldivas, podemos ver estrelas do céu a brilhar na rebentação das ondas. Não é o que acontece mas a descrição dá-nos a imagem certa. A “luz” que vemos nas ondas é provocada por micróbios marinhos chamados de Fitoplâncton. Várias espécies de Fitoplâncton são conhecidas pela bioluminescência, e a sua luz pode ser vista em todos os Oceanos. Mas nesta ilha o resultado é espectacular.

1. A grande migração do Serengeti – Masai Mara

A migração anual dos gnus africanos através das planícies do Parque Nacional do Serengeti, na Tânzania, e do Parque Nacional Masai Mara, no Quénia, é um dos acontecimentos da vida selvagem mais espectaculares do planeta. Também conhecido como “O maior espectáculo do planeta” trata-se da migração de mais de 1.5 milhões de gnus, 400 mil zebras e 200 mil gazelas através das planícies africanas, sendo a maior movimentação de animais do mundo.

 

Artigos Relacionados:

10 tecnologias emergentes em 2013
10 locais a visitar nos Açores - São Miguel e Santa Maria
Os 10 orgãos mais importantes do corpo humano
Imagens da Semana (2013.45)

Leave a Reply